Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Alimentação adequada das éguas garante gestações saudáveis

A nutrição é um fator muito importante na criação de cavalos. Esse fator que muitas vezes é subestimado pelos criadores é de suma importância para a saúde desse tipo de animal. Inclusive para a reprodução equina, um dos maiores responsáveis pela infertilidade de éguas está diretamente ligada ao fator nutrição.

A falta de nutrientes adequados pode resultar em cios não férteis e fixação do embrião no útero entre outros problemas na gestação. Quando o animal é mal nutrido por períodos extensos, há uma maior predisposição a infecções que comprometem a fertilidade da égua. O que irá resultar em nascimento de potros fracos, prematuros, pouco resistentes ou até mesmo em abortos.

A prevenção desses tipos de problemas não é uma tarefa fácil, pois muitas vezes o criador não consegue identificar o erro. O ideal é adequar os aportes protéicos, minerais e vitamínicos conforme as necessidades do animal.

O que muito ocorre é que as éguas recebem uma alimentação rica em nutrientes no início da gestação e uma alimentação deficitária no período de lactação. Mas a alimentação ter seu valor nutricional variando de acordo com as fases da gestação do animal.

Após a égua ser fecundada, seu peso deve ser mantido o mesmo. A menos que o animal esteja muito magro, neste caso deve engordar um pouco. Nessa fase a mãe tem necessidades superiores às da manutenção, e é nesta fase também que ocorre o crescimento de um terço do tamanho do feto. Para suprir as necessidades desta fase é necessário um volumoso de qualidade, mineralização adequada e concentrado.

No período em que se dá o crescimento de mais ou menos dois terços do tamanho do feto a necessidade de nutrientes do animal aumenta muito. Isso se dá porque a alimentação do feto é prioritária em relação a da mãe. É nessa fase que se define o potencial de crescimento do filhote.

É nessa fase também que a mãe precisa adquirir uma reserva corpórea para que no início da lactação ela não perca peso e conseqüentemente não atrase o próximo cio.

Com uma alimentação adequada uma égua deve ganhar em média 13% de seu peso durante a gestação, sendo 10% nesta fase. Se por um lado a falta de nutrientes adequados é prejudicial para a gestação eqüina, a superalimentação também não faz bem. O excesso de gordura da mãe também pode acarretar graves e importantes problemas como dificuldades no parto e complicações associadas. A complementação concentrada adequada no final da gestação também trás muitas vantagens.

Uma égua em bom estado corporal está sujeita a um parto tranquilo e garante o nascimento de um potro saudável com ótimo desenvolvimento pós-natal.

  Fonte: Cavalos Crioulos Adaptação: Escola do Cavalo  

Conheça o Curso de Manejo Reprodutivo em Equinos

  Veja outros artigos da Escola do Cavalo: Saiba a diferença de nutrir e alimentar Saiba como proporcionar um crescimento saudável para os potros A evolução das técnicas de reprodução em equinos    

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.