Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Funções importantes para o bom desenvolvimento de exercícios

A Fisiologia do Exercício é a parte da Biologia que investiga processos vitais e funções orgânicas comprometidos com o esforço físico. Busca sempre entender o que é o esforço como os estímulos atuam no organismo do cavalo em movimento, e de que forma acontece a resposta para acomodar esses estímulos.

A velocidade pura é uma atribuição importante, desenvolvida pelo Quarto de Milha. Ele é um animal atleta que atinge o esforço máximo, num período de 5 a 20 segundos, isto é, num período curtíssimo de tempo.

Esse tipo de velocidade requer uma estrutura forte e muito resistente, como ossos, tendões, ligamentos e cartilagens fortificados e engrossados para suportar as dificuldades de um exercício de alta velocidade ou numa corrida. O cavalo precisa, ainda, dispor de uma aprimorada coordenação neuromuscular, um tipo especial de suporte energético e excepcional potência.

O suprimento energético é capaz de fazer a manutenção da potência do animal, e alimentar as células musculares em trabalho, ou seja, sua capacidade de estocar energia, para um adequado desenvolvimento do sistema cardiovascular, que tem por objetivo habilitar o coração a bombear maior volume de sangue com mais força, bem como desenvolver a rede capilar, permitindo a vazão do volume bombeado e maior e melhor alimentação sanguínea de todos os sistemas e estruturas em ação. Isso facilita a emoção de detritos metabólicos (gás carbônico, ureia, células mortas etc.), além do transporte de oxigênio, água, hormônios, aminoácidos etc.

As fibras, na musculatura do cavalo, exercem função de vital importância em seus movimentos. Os trabalhos lentos, como o trote, recrutam de preferência, as fibras de contração lenta. Os trabalhos rápidos, ao contrário, vão necessitar de fibras de contração rápida. É o caso do galope.

Existem os músculos que são diretamente responsáveis pelo movimento de avançar e correr, os agonistas, e há os músculos que limitam a distensão dos agonistas, visando a sua integridade e do organismo, os chamados antagonistas.

Esse regime de condicionamento predispõe os cavalos atletas a distensões e ou rompimentos de fibras musculares, músculos, tendões e ligamentos; fissuras e fraturas dos ossos longos, ossos dos joelhos e dos boletos. Por esse motivo, o treinamento e condicionamento dos cavalos tem que ser muito criterioso.

Também o coração e o diafragma são músculos e, apesar de serem controlados pelo Sistema Nervoso Central, independente da vontade do animal, necessitam de condicionamento apropriado seja pelo papel que desempenham no exercício ou pela integridade do cavalo.

A dor tem uma interferência significativa na performance de um cavalo de corrida, pelo simples fato de que a sua percepção pelo organismo é anterior à da consciência do animal. Quando um cavalo está correndo, todo seu corpo está sendo monitorado pelo Sistema Nervoso Central, através de proprioceptores, pequenos eletrodos que captam os sinais da atividade dos tecidos e fluidos do organismo.

O cavalo, quando sente dor, alivia o membro dolorido, jogando o peso para o membro oposto sobrecarregando-o, se corrigido ou instigado pelo chicote, pode correr em diagonal o que e o tira da linha de corrida, ambas as situações prejudicam a eficiência mecânica; dores nas costas comprometem a mecânica dos membros, ainda, a dor interfere e muito no rendimento muscular - músculos doloridos tendem a ser tensos, rendem muito menos e gastam mais energia. A dor também interfere no rendimento cardíaco, comprometendo o suprimento sanguíneo e, por consequência, o fornecimento de combustível à musculatura em trabalho, sua refrigeração e a oxigenação do tecido muscular. Isso ocasiona mais dor.

A execução de um exercício exige o ajustamento de numerosas funções orgânicas, cuja solicitação depende da intensidade, duração e frequência do exercício e das características específicas da atividade praticada, no caso, a corrida de velocidade. O treinamento tem por objetivo a adaptação dos aparelhos e sistemas solicitados por um exercício.

  Autora: Elizabeth Barros - Treinadora de Corrida Fonte: Cavalo do Sul de Minas Adaptação: Escola do Cavalo  

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Equinos

 

Veja outras publicações da Escola do Cavalo:

Hipismo - Campeões do Prêmio COB 2011

Cuidados com as feridas e lesões em cavalos Cuidados com a superalimentação de potros

 

Quarto de Milha

Raças

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.