30% de desconto em Cursos Online de Criação de Cavalos
Aumente seu conhecimento no mundo equestre


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Criadores de cavalos reivindicam reconhecimento da atividade como parte da pecuária

A reivindicação contra o governo federal partiu das lideranças que representam os criadores de cavalos. O vice-presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), Antônio Sérgio Barbosa, explica que o fato de o animal ser considerado de estimação reflete diretamente nos custos dos criatórios. Ainda segundo ele o Manual de Crédito Rural não caracteriza o equino como pecuária bovina e sim como pet. Isso acarreta em juros diferentes impossibilitando os benefícios do crédito rural. "Ainda não conseguimos colocar o cavalo como uma ferramenta de trabalho", diz ele.

Estudos feitos pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em 2009 apontam que a criação de cavalos geram cerca de 4 milhões de empregos, diretos e indiretos, movimentando mais de 7 bilhões. São mais de 6 milhões de cavalos, sendo que 80% são destinados ao uso nas atividades de pecuária de corte. O estudo, que está sendo deferido, já aponta um crescimento de 20%.

Barbosa explica que, para alimentar os cavalos, os criadores pagam 40% mais impostos do que para o rebanho bovino. "A ração para cavalo é penalizada como ração de cachorro e isso não tem lógica", salienta.

Ele revela ter conseguido um contrato para custeio da atividade por meio do Banco do Brasil, utilizando a característica de pecuária bovina. Entretanto, não foi possível repetir. "O contrato foi firmado em 2009 e depois não consegui renovar. O que nos interessa é o custeio pecuário equino, para que a atividade seja subsidiada e auxiliada pelo governo. Ela presta serviços relevantes para a pecuária nacional", ressalta.

A ABCCMM espera que em sejam feitas mudança nesse cenário. "A primeira frente é caracterizar o cavalo como atividade produtora e jogar no Manual de Crédito Rural, para ter benefícios. Principalmente custeio e a parte tributária, que é descaracterizar o animal como sendo de estimação", avalia.

Fonte: Canal Rural Adaptação: Escola do Cavalo  

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Equinos (Alimentos e Alimentação)

Veja outras publicações da Escola do Cavalo:

A importância da Flexão no Adestramento do Cavalo Mangalarga-Marchador Você sabe identificar a idade dos equinos? Origem da raça Mangalarga Marchador  

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu endereço de e-mail:

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)
Veja também

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.