Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Anti-helmínticos no tratamento das verminoses em equinos

 Anti-helmínticos são medicamentos que agem localmente para expelir os vermes do trato gastrintestinal. A eliminação total dos helmintos gastrintestinais e pulmonares é praticamente impossível, devido à estreita relação existente entre o hospedeiro, o parasito e o meio ambiente. O que se busca é a diminuição da carga parasitária no animal e no meio externo, pela adoção de tratamentos táticos e estratégicos, buscando uma minimização das perdas causadas pelo parasitismo.

Nos equinos, esse controle da parasitose é fundamental, porque melhora o desempenho dos animais. A forma de controle adotada nos principais haras e criatórios de equinos utiliza exclusivamente os compostos antiparasitários por sua praticidade, eficiência comprovada e segurança na utilização, além de ter ótima relação custo-benefício.

Existem diversos compostos utilizados na rotina para controle parasitário dos equinos. Dentre os compostos, existem quatro grupos químicos distintos: os benzimidazóis (por exemplo, albendazole e oxibendazole), as pirimidinas e imidazotiazóis (por exemplo, pamoato de pirantel e levamisole) e o grupo das lactonas macrocíclicas (por exemplo, ivermectina e moxidectina).

Na escolha do anti-helmíntico utilizado nos programas de everminação, entra a assistência do Médico Veterinário, pois um anti-helmíntico, por melhor que seja, tem os seus prós e contras. Tratando-se da escolha do mais adequado, é uma decisão técnica que exige conhecimento de epidemiologia e farmacologia.

A maioria dos compostos é ineficaz contra todos os estágios de desenvolvimento dos parasitas de equinos, sendo que somente a moxidectina tem efeito moderado contra larvas encistadas de terceiro e quarto estágio. A moxidectina pertence ao grupo das lactonas macrocíclicas e foi sintetizada em 1990, sendo que tem demonstrado um amplo espectro de ação contra parasitos internos e externos, e é considerada um fármaco seguro em adultos e em potros a partir de seis meses de idade.

O Praziquantel pertence à classe dos Pirazinoisoquinolonas, medicamento de eleição no tratamento das infecções por cestódeos em animais domésticos. O Praziquantel é o princípio ativo mais importante dessa classe. O Praziquantel atua sobre o potencial de membrana das células musculares, promovendo a entrada de cálcio para o interior da célula, resultando na contração muscular, vacuolização e desintegração do tegumento do helminto.

Fonte: Rural Pecuária

Adaptação: Escola do Cavalo

     

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Equinos

      Veja outras publicações da Escola do Cavalo: Manejo Reprodutivo em Equinos Saiba mais sobre odontologia em equinos Cólica equina      

Sonda Uretral para Cavalos

Por: R$ 15,00

   

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)
Veja também

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.