Aumente seu conhecimento no mundo equestre

Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Qual a melhor idade para castrar potros?

Cavalos são animais muito sensíveis a qualquer tipo de procedimento, principalmente quando este envolve mudanças fisiológicas, como a castração que afeta diretamente o nível de produção hormonal do animal. Para definição do momento exato de castrar um cavalo é necessário um conhecimento específico tanto anatômico, quanto comportamental do mesmo, iniciando pela idade em que começa a ocorrer mudanças em seu corpo, se preparando para se tornar um reprodutor, esta idade é estimada em 18 meses, sendo denominada puberdade.

Mesmo a puberdade iniciando quando o animal possui quase um ano e meio de idade, o momento ideal para o acasalamento, no caso dos machos é após os dois anos e com fêmeas de dois anos e meio à três, pois só então estarão com seu sistema reprodutor completamente formado e poderão dar origem uma prole saudável, com maior segurança. Ao contrário dos garanhões, as éguas geralmente só se deixam montar quando estão realmente aptas para a cópula.

A importância da castração desses animais é basicamente financeira, uma vez que a criação de garanhões tem um custo muito alto, e poucos são os cavalos que possuem características genéticas e morfológicas satisfatórias. Para um melhor padrão racial dentro da propriedade, a seleção dos garanhões deve ser minuciosa.

Já a idade ideal para se castrar os cavalos que não passarem nessa seleção é uma decisão tomada pelo Médico Veterinário responsável, pois este deve também se guiar pelo estado de saúde do animal e tomar como referência a deiscência testicular, sendo por volta de dois a três anos, que é definido também como um momento em que o animal sofre menos com a castração e a probabilidade de ocorrência de acidentes cirúrgicos é menor.

A escolha prematura da castração pode privar o animal de um desenvolvimento completo, permanecendo com características físicas de potro, anulando assim, modificações naturais mais acentuadas, como sua cabeça ficando mais bonita mais expressiva, o pescoço tornando-se mais fino e elegante e suas crinas mais brilhantes. Também é perigoso o processo realizado tardiamente, podendo ocorrer espessamento do cordão espermático, aumentando assim a irrigação testicular, aumentando a libido, o que dificulta sua adaptação à nova vida.

Uma última e indispensável observação para a lida com essa espécie é que todos os potros só devem ser domados, amansados ou adestrados, quando completam o seu desenvolvimento, o que varia de acordo com a raça a que pertençam.

 

  Fonte: RuralNews Adaptação: Escola do Cavalo    

Conheça o Curso Avançado de Cólica Equina com Laparotomias (Módulo II)

 

Veja outras publicações da Escola do Cavalo:

Quais são os princípios básicos alimentares dos Equinos? Cuidar dos cascos é cuidar da performance atlética de equinos As consequências do Criptorquidismo no equino    

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves
© 2016 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.