Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Os equinos são os mais afetados com a picada da Mosca do Estábulo

A Stomoxys calcitrans é uma mosca que pertence à família dos muscídeos, que se distribui mundialmente.  Ela é conhecida popularmente pelo nome de Mosca do Estábulo e é responsável pela transmissão de várias doenças aos animais domésticos, podendo ser hospedeira intermediária de nematóides, como a larva de Habronema sp. e, também, o vetor de ovos da Dermatobia hominis.

A morfologia da Stomoxys calcitrans lembra muito a da mosca doméstica, o que diferencia e que ela possui probóscides salientes e projetadas para frente, diferentemente das moscas não picadoras.

Os machos e as fêmeas se nutrem de sangue uma a duas vezes por dia, variando de acordo com a temperatura ambiental.

 As fêmeas, durante a ovoposição podem ovipor de 25 a 50 ovos em locais que contenham palha ou feno, principalmente se estes estiverem fermentados ou umedecidos com urina e fezes de animais. As fezes de equinos, bovinos, suínos e ovinos também podem servir para a criação desta mosca. No entanto, este não é o substrato de eleição, a não ser que contenha vegetais misturados à matéria orgânica.  Os restos de alimentos dos animais, também é um grande atrativo para esses dípteros realizarem a postura.

Os equinos são os mais afetados com a picada da S. calcitrans que é muito dolorosa. São necessários três minutos para a ingestão do sangue, sendo que frequentemente a alimentação é interrompida, permitindo, deste modo, a transmissão mecânica de microrganismos e protozoários patogênicos. O sinal clínico observado em decorrência da picada é uma lesão característica de uma dermatite, sendo deste modo grande fonte de estresse.

O ciclo completo da S. calcitrans varia de 13 a 18 dias, a uma temperatura ambiente de 24 a 30°C. Já em temperaturas mais baixas, o ciclo pode ocorrer dentro de 3 a 5 meses.

Manter os abrigos dos animais (como estábulos) e pastos limpos, removendo fezes frescas, camadas úmidas de palha, feno e resíduos alimentares reduz a onde esse díptero se prolifera tendo assim um controle. O uso de inseticidas à base de piretróides, organofosforados, na forma de pulverização ao redor dos alojamentos dos animais e das instalações rurais podem também ser utilizados como também o uso de inseticidas aplicados no dorso do animal (pour-on).

Fonte: Info Escola

Autor(a):  Débora Carvalho Meldau

Adaptação: Escola do Cavalo

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Equinos

        Veja outras publicações da Escola do Cavalo: Mulher salva cavalo submerso em lama Equinos são Sacrificados no Piauí Você conhece a comunicação dos equinos?  

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)
Veja também

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.