Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Seu cavalo vai sair de férias? Não se esqueça de adotar algumas medidas para que não ocorram problemas na volta

Durante o ano esportivo, os cavalos atletas despendem muito esforço físico nos treinos e nas mais variadas provas e um período de descanso para que se recuperem, tanto psicologicamente como fisicamente é fundamental.

Muitos cavalos passam parte de dezembro, janeiro e até mesmo fevereiro, soltos em haras e piquetes de férias.  As férias não é um período que o animal não necessite de cuidados. Ao contrário, é uma fase que o animal precisa de cuidados intensivos para que, quando retornar ao esporte, se apresente em condições para exercer esforços físicos.

Ao se retirar um animal de presa e fuga como o cavalo de seu habitat e o colocamos entre quatro paredes, ou entre cercas, estamos correndo o risco de ter todo tipo de acidentes por estar mudando a natureza do animal. Nem sempre o que é bom para o dono do animal é interpretado pelo próprio cavalo como sendo bom para ele. Os cavalos jovens são mais espirituosos e assustados, sendo, portanto muito mais propensos a causarem acidentes. Os cavalos não precisam de luxo, pois o animal necessita de alguns cuidados como boa cama, alimentação e cuidados com manejo diário e não de construções maravilhosas sem um bom manejo.

No final do ano ocorre um verdadeiro êxodo de animais dos centros de treinamentos, para qualquer lugar que o proprietário encontre para soltá-lo assim que termina a última prova do ano. O importante é escolher um local apropriado para que os cavalos não sofram alteração muito significativa, durante esse processo, já que o animal fica de férias para melhorar suas condições, tanto psicológicas como físicas, e para tanto é necessário que haja boas condições de cocheiras e piquetes.

Isto para prevenir alguns problemas que podem acontecer: desde acidentes nos piquetes, pelo fato de os animais não estarem acostumados a serem soltos e saírem correndo descontrolados (esse comportamento normalmente acaba depois de uns 3-4 dias); ou por colocação de animais desconhecidos juntos; até problemas digestivos em função da troca da alimentação, que alguns estabelecimentos de pensionato promovem para facilitar o trato da grande quantidade de animais de diferentes origens que chegam para o verão.

Para o transporte dos animais que estão alojados em centros de treinamento e vão descansar em haras ou na propriedade de seu dono, os cuidados adotados no transporte devem ser os mesmos utilizados durante as provas, como o uso de protetores (de membros e de rabo), exames de anemia infecciosa equina e guia de trânsito animal, assim como é importante à escolha de meio de transporte adequado e seguro. Na bagagem devem ser colocados os suplementos que o cavalo está utilizando, além de protetores, ligas de descanso e trabalho, capas e demais acessórios usados pelo animal.

Os cavalos estabulados podem apresentar problemas relativos a cólicas e acidentes. Dentro desses 90%, 60% são acidentes e o resto é a cólica, que não deixa de ser outro tipo de erro de manejo. A adoção de medidas como aplicação de um vermífugo; verificar os dentes do animal para evitar atrasos no trabalho por conta de pontas, rampas ou outros problemas dentários; revisar juntamente com o ferreiro os quatro cascos do cavalo contribui para se evitar problemas.

Durante o período de férias os animais ficam normalmente soltos durante grande parte do dia. Para que esse manejo tenha sucesso, os piquetes e as cocheiras utilizadas têm de ter condições mínimas e pasto de boa qualidade, para que ele não sofra consequências de acidentes ocorridos nestes locais, assim para que não perca condição corpórea para prática de exercícios exigidos.

Nesta época do ano é muito comum os cavalos apresentarem cólicas, na maioria dos casos elas são relacionadas tanto com a alteração da temperatura, como pela ausência de trabalho do cavalo. Para prevenir este tipo de ocorrência, deve-se diminuir a quantidade de concentrado e aumentar a quantidade de volumoso, lembrando sempre que a qualidade desses alimentos não pode ser alterada.

É uma boa época para aproveitar e refazer todas as vacinações, que algumas vezes dão algum tipo de reação, o que poderia atrapalhar em épocas de competição.

Mesmo tomando todos os cuidados acidentes acontece, o importante é manter a calma e deixar tudo esquematizado caso isso ocorra, recomenda-se manter um kit de primeiros socorros em local que os atendentes tenham acesso. Os animais devem viajar com algumas anotações a seu respeito, como por exemplo, data de vacinações e da última vermifugação, não podendo esquecer que durante as férias o animal ainda deve ser vermifugado normalmente.

Em relação à alimentação, a ração do cavalo deve continuar a mesma já que a sua alteração pode causar vários prejuízos ao animal, levando algumas vezes à morte. Da mesma forma, estes animais devem se alimentar no mesmo horário de costume, com a quantidade levemente diminuída, para que não ocorram casos de cólicas.

Além destas informações, devem ser relacionadas algumas informações importantes, como por exemplo, animais que apresentam gastrite ou úlceras gástricas e é imprescindível o telefone do médico veterinário, para que seja acionado assim que alguma ocorrência acontecer.

O tratamento de certas afecções que necessitam de algum tempo de recuperação, como alguma cirurgia, ou até mesmo infiltrações é recomendado, pois aproveitarão assim o tempo que o animal ficará em repouso para recuperação do processo.

À volta a rotina de treinamentos exige um planejamento para viabilizar a manutenção do rendimento do cavalo pelo ano inteiro, além de se definir um calendário de provas durante o ano, que não exija além do limiar atlético do cavalo. Uma boa avaliação física do animal por seu veterinário, com relação aos problemas conhecidos e um simples exame de hemograma para avaliação e detecção de qualquer alteração, antes de voltar ao trabalho, são muito importante.

Dificilmente o animal volta com a mesma condição física com que saiu, porque sem o exercício ele tende a perder massa muscular e a parecer mais magro. Se o cavalo estiver um pouco mais "fino" do que quando saiu, seria a condição ideal para o retorno ao trabalho. Em pouco tempo a musculatura vai retornar a força e o volume e o cavalo não vai carregar peso extra nos ossos e articulações durante seu recondicionamento. Se estiver muito magro, tome cuidado para não exagerar na alimentação e suplementos mirabolantes.

Um planejamento bem feito deve ser feito para que o cavalo tenha tempo para se preparar para a primeira competição.  O ideal é trazer o cavalo no mínimo cinco semanas antes das provas de início de temporada que normalmente são mais leves, competir em uma categoria inferior e trabalhar em um esquema de recondicionamento atlético.

O importante é sempre lembrar que para que haja sucesso no período de férias, são necessários alguns cuidados básicos para mantermos a forma física do animal atletas no início do ano.

Fonte: Abqm

Autor: Hélio Itapema e Rodrigo Rossi, médicos veterinários da Clínica de Equinos Itapema & Rossi, credenciados pela Federação Paulista de Hipismo.

 

 

 

Conheça o Curso de Transferência de Embriões em Equinos

 

 

 

  Veja outras publicações da Escola do Cavalo: Saiba mais sobre a Ovulação de Éguas Você sabe o que é Trypanosoma Evansi em equinos? Claudicação equina: o que fazer para evitar?                              

Clínica e Saúde

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.