Baias para cavalos: A criação de cavalos depende muito da qualidade das instalações utilizadas nesta atividade.

Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF

A equinocultura deve ser encarada como uma atividade econômica de atual importância no Brasil, e por isso se torna cada vez mais necessário que a atividade seja tratada com maior nível técnico, equacionando todos os inúmeros fatores diretamente ligados a ela.

O mercado do cavalo passou por uma transformação, atualmente nos centros equestres ou haras hotel os animais ficam alojados em baias ou piquetes recebendo alimentação adequada. Como o cavalo hoje é usado na maioria das vezes como laser pela população, varias raças são criadas nesses centros ou haras.

O cavalo hoje também tem um papel importante na saúde e na inclusão social. Em vários centros equestres os cavalos são usados como terapia para recuperação de deficientes físicos que por sinal, com um resultado muito positivo nesse quesito. O cavalo tem um custo- beneficio muito bom para quem quer um animal para o laser, esportes sem precisar ter uma fazenda ou ir ao campo para montar a cavalo. Como cresceu muito o comércio de cavalos, os centros equestres ou haras virou alternativas para quem quer ter um cavalo dentro da cidade sem se preocupar com o bem estar dele, já que nesses locais existem profissionais que estão diariamente por conta deles.

A competição valoriza o animal, cavalos treinados e competidores agregam valor. Se atingirem o status de campeões ganham notoriedade e passam a ter preço de “ouro” no mercado. A genética é o primeiro passo para um animal se tornar campeão depois o treinamento.

Para uma boa e lucrativa criação de cavalos é necessário selecionar a área ideal onde se instalará o haras e o projeto construtivo isso constituem a base para o sucesso.  É importante escolher adequadamente: a propriedade; a localização e o acesso; solo; topografia; clima; água; arborização e pastagens.

A criação de cavalos depende muito da qualidade das instalações utilizadas nesta atividade. A baia é um tipo de instalação de grande importância para o bom desenvolvimento e a manutenção da saúde dos cavalos.
Ao se construir uma baia alguns cuidados são importantes para tornar a vida do cavalo o mais confortável possível.

O tamanho da baia, deve ter no mínimo 3 x 4m, sendo ideal 4 x 4. Baias com tamanhos inferiores a 3 x 4, proporcionará desconforto muito grande para o animal, o que o levará a um estado de stress que pode comprometer a qualidade de vida e o desempenho esportiva.  A baia é o local que os cavalos deverão ser cuidados e tratados mais diretamente por seus proprietários ou tratadores. A porta do boxe ou cocheira, normalmente, é dividida em dois segmentos, que se abrem de maneira independente: a metade superior e a metade inferior da porta. Isso é feito para que os animais possam colocar sua cabeça para fora e “apreciar” o movimento fora da sua própria baia.

A baia deve ser bem ventilada, não exposta a calores excessivos nem a frios intensos ou correntes de ar desagradáveis.  Como a iluminação das baias deve ser natural, utilizam-se claraboias, ou seja, telhas translúcidas ou “janelas” na cobertura da cocheira, para mantê-la iluminada durante o dia. A iluminação elétrica só deve ser utilizada à noite, se necessário, na hora de alimentar os animais, isso deve ser feito somente para que os tratadores possam enxergar, pois os cavalos enxergam muito bem não necessitando de luminosidade.

O cavalo é um animal muito sociável; ele não gosta de ficar isolado. Para amenizar este problema quando confinado em uma baia, deve-se fazer com que tenha contato visual com outros cavalos, através de janelas com grades entre as baias e deixando a parte superior das portas sempre abertas (ao menos durante o dia). Isso é muito importante para os animais, pois a convivência afeta de maneira positiva o temperamento dos cavalos.

O cocho para a alimentação dos cavalos pode ser de alvenaria, fibra ou madeira. Deve estar a uma altura baixa para facilitar a alimentação do cavalo, não deve ter cantos para facilitar a limpeza e não acumular alimento. Os cochos precisam ser limpos diariamente. A falta dessa higienização constante pode gerar problemas gástricos, decorrentes de contaminação por fungos, muito comuns em equinos.

 A água deve ser oferecida de forma constante e renovável, atendendo a mais de uma baia, sempre em abundância. Existem os chamados cochos automáticos que, além de ser muito práticos, diminuem o trabalho.

 A limpeza e desinfecção do piso são igualmente primordiais nas baias. Há vários tipos a serem utilizados, desde o piso de cimento recoberto com serragem ou maravalha, até pisos sintéticos, de borracha ou materiais plásticos. Esses cuidados vão contribuir para não proliferarem, ali, fungos e bactérias. Não se aconselha o piso de terra, pois é o que mais contribui para a contaminação.

A cama é um item muito importante para dar maior conforto para o animal. Deve ser limpa diariamente, retirando-se as fezes e a parte da cama úmida pela urina. A cama deve ser substituída totalmente ao menos a cada 15 dias.

Desde que construída adequadamente a baia de alvenaria é considerada como a melhor para cavalos. E importante também ter na propriedade local adequado para armazenar os alimentos e acessórios do cavalo.

Fonte: Página Rural

Adaptação: Escola do Cavalo

Conheça o Curso de Anestesia em Equinos a Campo

 

 

 

 

Veja outras publicações da Escola do Cavalo:

Saiba mais sobre a Ovulação de Éguas

Você sabe o que é Trypanosoma Evansi em equinos?

Claudicação equina: o que fazer para evitar?

 


Veja Também

Comentários

Deixe seu comentário

Receba nossas novidades!

Digite seu e-mail:

Curta nossa página


Tire suas dúvidas Preencha os campos abaixo