Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Sistema reprodutivo dos equinos - Conheça e tenha o sucesso reprodutivo

Todas as éguas, destinadas à reprodução, devem passar por uma preparação específica para sua época reprodutiva, a fim de evitar problemas como abortos, perdas embrionárias e falhas de concepção.

Conhecer o aparelho reprodutor feminino equino, o ciclo reprodutivo, o momento para a cobertura e os detalhes da reprodução assistida, previne desagrados aos criadores e produtores.

A constituição do aparelho reprodutor da égua conta com os seguintes órgãos: ovários, oviductos ou trompas de Falópio, útero, cérvix, vagina e vulva. Vejamos a descrição e a função desses órgãos:

- Ovários: neles se desenvolvem os folículos e vesículas, que abrigam os óvulos em desenvolvimento, até atingirem a maturação e ser liberados, processo conhecido como ovulação;

- Oviducto: o óvulo liberado é transportado até o Oviducto pelo infundíbulo, para ser ou não fertilizado;

- Útero: caso o óvulo seja fecundado, tornando-se um embrião, ele é alojado no útero, responsável por abrigá-lo durante todo o desenvolvimento do poldro;

- Cérvix: tem a função de barreira entre o útero e a vagina, encontrando-se aberto na época do cio e fechado nas fases não receptiva e gestação;

- Vagina e vulva: Funcionam como barreiras físicas, evitando a infecção por microrganismos.

O ciclo reprodutivo da égua conta com dois momentos: época reprodutiva, quando a égua tem vários ciclos, e época não reprodutiva.

A época não reprodutiva ou anestro ocorre no fim do Inverno e Verão. O ciclo reprodutivo, durante a Primavera e Verão.

O ciclo dura em média, 21 a 23 dias, com duas fases, a de Estro (cio) e a Diestro. A fase de cio é quando a égua está receptiva ao garanhão, durando de 5 a 7 dias, com a possibilidade de prenhes. Na fase de diestro, durando aproximadamente de 12 a 14 dias, quando a égua não está receptiva ao garanhão, fase em que o folículo deixa de existir, transformando-se em um corpo lúteo, que tem a função de produzir progesterona.

O momento da égua ser coberta deve ser o mais próximo da ovulação, sendo de suma importância saber quando a fêmea vai ovular, necessitando de um acompanhamento ecográfico. Se não for possível a identificação do momento ideal para a cobertura, esta deve ocorrer em intervalos de 48 horas, alternando os dias, após o início do cio, até quando há a rejeição do macho.

O acompanhamento por ecografia é recomendado tanto na concepção natural, quanto na inseminação artificial, sendo nesta última, uma necessidade absoluta.

Todos os cuidados, desde os exames reprodutivos de rotina, até o momento pós-parto da égua, são conhecidos como reprodução assistida, que deve contar com o acompanhamento do médico veterinário durante toda a época reprodutiva.

O exame de rotina deve ser uma avaliação física e clínica completa, identificando possíveis problemas físicos que possam vir a interferir na cobertura e gestação.

O histórico reprodutivo deve conter dados como a época de cobertura e as vezes em que ocorreu, se a égua já ficou gestante quando coberta, se já teve potros, como foram os filhotes, examinar os momentos anteriores de cobertura, dentre outros pontos, fundamentais para o planejamento correto da gestão equina. Necessário também conhecer sobre a fertilidade do macho garanhão, independente de cobrição por inseminação artificial ou cobertura natural.

Todo histórico reprodutivo deve estar disponível antes do início da época reprodutiva, permitindo, caso haja necessidade, agir com antecedência, evitando transtornos gestativos.

Mesmo com estes cuidados, a égua pode não ficar gestante ou não levar a gestação ao fim. Os problemas podem ser devidos a anormalidades orgânicas, tanto na égua, quanto no garanhão. As éguas já nascem com todos seus óvulos, portanto, um animal mais velho pode sofrer alterações ovulares, não caracterizando, necessariamente, problemas com os ovários e útero, por exemplo. Já o garanhão deve ser bastante fértil, independente da cobrição, contudo, as taxas conceptivas, por sêmen congelado, é menor.

Fonte: Mundo dos Animais

Adaptação: Escola do Cavalo

     

Conheça o Cursos de Palpação Transretal e Ultrassonografia na Reprodução Equina

Veja outras publicações da Escola do Cavalo:

Guia de Trânsito Animal-GTA para um transporte seguro Emergências com equinos? Veja os materiais que todo criador precisa ter Claudicação Equina- previna        

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.