Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

3 fatores para ter sucesso na reprodução equina: Conhecer o sistema reprodutivo equino é um deles!

sistema reprodutivo equinoConhecer bem o sistema reprodutivo equino auxilia os profissionais a obterem sucesso na área de reprodução, que é altamente importante para a lucratividade do criatório. Aliás, vale destacar que a indústria de equinos cresceu cerca de 15% nos últimos dez anos e possui representatividade na geração de emprego e renda para o país.

Para conquistar bons ganhos financeiros é importante conhecer os diferentes setores que compõem esta cadeia de produção e os que mais faturam. Desta forma, cada criador irá direcionar o seu rebanho para a atividade que mais o interessa. Ou seja, animais que serão destinados a atividades esportivas, trabalho ou mesmo para o lazer. Nesse contexto a atividade reprodutiva tem papel importante, pois sem ela não há criação de equinos.

Preparamos este super artigo para te deixar ainda mais bem informado sobre este assunto que ainda gera muitas dúvidas. Acompanhe com a gente até o final e boa leitura!

#1 - Histórico reprodutivo dos animais

Conhecer a fundo o sistema reprodutivo equino possibilita realizar uma boa preparação dos animais. Aliás, todas as éguas que são destinadas à reprodução devem  passar por uma avaliação específica, que tem como intenção evitar problemas com abortos, perdas embrionárias e falhas na concepção. E mais, para prevenir problemas futuros é preciso conhecer o ciclo reprodutivo, os detalhes sobre o momento certo para a cobertura e sobre a reprodução assistida.

Outro ponto importante é realizar o acompanhamento do histórico reprodutivo dos animais, Este deve conter dados como a época de cobertura e as vezes em que ocorreu. Informações como se a égua já ficou gestante quando coberta, se já teve potros, como foram os filhotes, examinar os momentos anteriores de cobertura, dentre outros pontos, são fundamentais para o planejamento correto da gestão equina. Além disso, é necessário também conhecer sobre a fertilidade do macho garanhão, independente de cobrição por inseminação artificial ou cobertura natural.

#2 - Conhecimento sobre o sistema reprodutivo equino

Cada um dos componentes do sistema reprodutor equino e de outros animais domésticos se propaga a partir do desenvolvimento do corpo e passa por diferenciação histológica. A competência funcional não é concluída, simultaneamente, em todos os componentes do sistema reprodutor. Na puberdade, todos os componentes desse sistema alcançam estágio avançado de desenvolvimento, para que ele seja funcional.

Anatomia do garanhão:

Com relação a anatomia do garanhão, os testículos se situam fora do abdômen e o seu tamanho varia ao longo do ano em animais de estação reprodutiva sazonal. Isso, por conta do aumento da atividade reprodutiva. Para funcionar de forma eficiente, os testículos dos mamíferos devem ser mantidos em temperaturas inferiores a do corpo já que a termorregulação, juntamente com mecanismos de contracorrente, são importantes para que haja uma boa produção espermática.

Na hora de avaliar o potencial reprodutivo do garanhão o tamanho do testículo é um parâmetro importante. Além disso, o valor médio da medida muda de acordo com cada raça. Outra característica importante é a consistência dos testículos, uma vez que ela traz importantes informações sobre a funcionalidade do órgão. Isso porque, testículos muito flácidos, rígidos ou irregulares podem ser sinal de produção insuficiente de espermatozóides.

Um ponto importante é sempre priorizar o bem-estar dos animais, ele influencia em diversos aspectos, inclusive na reprodução. Afinal, causas psicológicas, como o estresse, podem provocar falhas na ereção.

Anatomia da égua:

As éguas manifestam sua atividade reprodutiva nos períodos de maior luminosidade do dia. Além disso, o ciclo estral dura em média 21 dias, sendo que o estro é marcado por um período de de receptividade sexual conhecido como cio. Essa fase  sofre influência de fatores externos tais como:

  • Manejo nutricional
  • Sanidade
  • Clima da região onde os animais são criados,
  • Estresse devido ao manejo inadequado.

Práticas como a palpação de ovários e útero por ultrassonografia facilitam a identificação deste período. Para isso, é fundamental conhecer a fundo sobre o sistema reprodutivo equino. O aparelho reprodutor da égua é constituído pelos seguintes órgãos: ovários, oviductos ou trompas de Falópio, útero, cérvix, vagina e vulva. Abaixo trouxemos a descrição e a função de cada um deles. Confira:

Ovários
Local onde se desenvolvem os folículos e vesículas, que abrigam os óvulos em desenvolvimento até atingirem a maturação e serem liberados, processo conhecido como ovulação. Nos equinos o ovário tem o formato de um rim em função da presença da fossa ovulatória. Por isso, nas éguas não ocorre a formação do corpo lúteo de forma ressaltada como no caso das vacas.

Oviducto

São responsáveis por captar o oócito quando da ovulação, após a captação são liberados e direcionados para para o terço médio. Se houver espermatozóides em boas condições na região da ampola, há chances de ocorrer a fertilização do oócito.

Útero

A partir do momento em que o óvulo é fecundado, ele se torna embrião e é alojado no útero. Este, é responsável por abrigar o óvulo durante todo o processo de desenvolvimento do poldro. Mas não é só isso, o útero apresenta múltiplas funções, confira abaixo:

Desenvolvimento inicial do embrião;
Produção de hormônios para regular a função do corpo lúteo;
Transporte dos espermatozóides desde a ejaculação até os ovidutos;
Manutenção da gestação e das contrações musculares para acontecimento do parto.

Cérvix

Este órgão tem como principal função fornecer proteção a cavidade uterina contra contaminações que podem vir do meio externo. E mais, possibilita que os espermatozóides sejam transportados através do muco cervical junto com exposição do processo uretral do garanhão no momento da ejaculação. Assim, permite que os equinos sejam a única espécie doméstica que tem como característica a ejaculação intrauterina.

Durante o ciclo estral da égua a cérvix apresenta alterações importantes, fica fortemente fechada durante o diestro e relaxada e aberta durante o estro. Desta forma é possível ocorrer a passagem dos espermatozóides ao longo do procedimento de inseminação artificial.

Vagina e vulva

Juntos estes órgãos funcionam como barreiras físicas que evitam o acometimento de infecções causadas por microorganismos.

Falando nesse assunto tão importante, que tal aproveitar o momento e baixar no e-book gratuito sobre como produzir mais potros. Você aprenderá ainda mais sobre o sistema reprodutivo equino e como alcançar um sucesso ainda maior na reprodução.

# 3 - Manejo reprodutivo eficiente

Existem algumas características consideradas desejáveis dos animais no momento de realizar o manejo reprodutivo. No caso do garanhão, o ideal é que possua três anos ou mais, apresentar bom temperamento e seja saudável. Além disso, é ideal que ele:

  • Apresente sêmen de boa qualidade;
  • Genética de qualidade;
  • Boa morfologia;
  • Bom desempenho competitivo.

A égua entra no período de reprodução entre o terceiro e o quinto ano de idade, o ideal é que não extrapole os 18 anos. O animal precisa estar em boas condições de saúde, isso inclui:

  • Boa conformação de vulva;
  • Possuir habilidade materna;
  • Aparelho reprodutor funcional;
  • Bom desempenho competitivo;
  • Ser considerado um animal de boa genética.

É importante entender que independente do objetivo da produção, obter a eficiência está diretamente relacionado ao número de potros obtidos. Ou seja, quanto maior o número de animais nascidos, maior será a quantidade voltada para o processo de seleção, comercialização e desta forma mais rentável será a criação. Então, a busca pela eficiência passa pela conscientização que ela está indissociável do manejo reprodutivo.

Fique atento ao porte de cada animal

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o sistema reprodutor equino é preciso estar atento a outro ponto importante. Na hora de realizar o acasalamento, ainda que o perfil dos animais seja considerado bom para reprodução, é preciso que estes possuam morfologia e porte parecidos.
Conhecendo bem todo o sistema reprodutivo equino e todas essas etapas, certamente as chances de sucesso na reprodução serão maiores, o que consequentemente elevará a eficiência da criação e a sua lucratividade!

Podemos perceber que conhecer o sistema reprodutivo equino traz informações importantes sobre as condições em que se encontram cada animal. Além disso, sobre seus aspectos quanto a reprodução, se estão em condições adequadas ou não. Procure conhecer cada vez mais sobre este assunto.

E se você esta procurando pelo modelo ideal de ultrassom para melhorar ainda mais os seus atendimentos, o Shop Veterinário tem tudo o que você precisa. Clique no banner abaixo e confira!


 

Fonte: UFPRCPT Cursos Presenciais e Revista científica eletrônica de medicina Veterinária

Artigos

Destaque

Melhoramento genético

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.