Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

O que é a síndrome do navicular em equinos e como ela afeta o rebanho?

A síndrome do navicular se caracteriza como uma doença degenerativa que atinge o osso sesamóide distal (Navicular) dos equinos. Além disso, compromete todo o aparato podotroclear, sendo considerada uma das principais causas de claudicação crônica. Normalmente costuma afetar os equinos  com idade entre 3 e 12 anos de idade. Sendo que na maioria das vezes costuma afetar animais entre 7 e 9 anos. As consequências são a redução no desempenho dos animais e prejuízos econômicos para o criador.

Fatores hereditários são os principais responsáveis pelo problema, mas podem haver outras origens. Animais como os da raça Quarto de milha e Puro Sangue Inglês são os mais suscetíveis pois, estes são muito usados em competições e provas equestres. Além  disso, apresentam pesos consideráveis e cascos menores. Tais características favorecem o surgimento da doença. Existem outros fatores que são responsáveis por agravar o problema, mas, falaremos sobre eles adiante. Fique com a gente até o final e boa leitura!

Sinais da síndrome do navicular em equinos

A síndrome do navicular está diretamente ligada a claudicação em equinos e precisa de muita atenção. Ainda é considerada uma patologia difícil de ser diagnosticada e muitos estudos têm sido feitos na intenção de proporcionar melhorias. O diagnóstico por imagem é a principal ferramenta para ajudar a diagnosticar a síndrome.

Em relação aos sinais, a mudança na postura dos equinos é o mais evidente. Além disso, é comum observar animais com fortes dores e que mantém a posição de um dos membros flexionados.

Como existe uma certa dificuldade no diagnóstico, é fundamental que os médicos veterinários conheçam a fundo sobre o sistema locomotor dos equinos. De todas as claudicações crônicas de membros anteriores observadas em equinos, a síndrome do navicular é responsável por um terço.

Raio x como importante aliado

Por mais simples que pareça ser a utilização do raio X, ela se constitui como uma ferramenta vantajosa. Além disso, é um método barato quando comparado a outros. Porém, o médico veterinário irá realizar o exame completo do animal. É importante avaliar ao menos três projeções diferentes.

Existe tratamento para esta enfermidade?

Não existe um tratamento específico para a síndrome do navicular, já que cada caso varia. Nesse sentido, é fundamental que o animal seja encaminhado a um médico veterinário especialista que irá avaliar e optar pelo tratamento mais  adequado em cada situação, evitando que a doença se desenvolva.

No geral, o tratamento consiste em:

  • Repouso;

  • Uso de anti-inflamatórios;

  • Corticoide e drogas anticoagulantes;

  • Em alguns casos cirurgias corretivas.

Obter bons resultados no tratamento depende de vários fatores. Em todos os casos  o principal objetivo deve ser diminuir ou reduzir a degeneração progressiva do osso navicular e fornecer alívio para as dores do animal. Assim que forem identificados os primeiros sinais, o encaminhamento do animal até o médico veterinário e as providências para o diagnóstico devem ser rápidos.

Capacitação constante

A prevenção é sempre muito importante, e no que diz respeito à  síndrome do navicular não é diferente. Fatores como um ferrageamento bem feito e os cuidados adequados dos responsáveis pelo animal são essenciais. Afinal, realizar este processo adequadamente previne muitas patologias, principalmente em cavalos atletas. Portanto, esteja atento ao equilíbrio dos cascos, afinal não existe ferradura milagrosa.

Se você ama o mundo equestre e resolveu se especializar em uma das áreas que mais crescem na medicina veterinária, saiba que fez uma ótima escolha. Afinal, o Brasil é o terceiro país no mundo com maior rebanho, são cerca de 5,9 milhões de animais, ficando atrás apenas da China e do México. Neste cenário é importante que todos os profissionais envolvidos com a criação saibam agir em situações de emergência. Afinal, um simples detalhe pode fazer toda a diferença e salvar vidas, não é mesmo?

No curso de primeiros socorros em equinos do nosso parceiro CPT Cursos Presenciais você terá a oportunidade de aprender na prática com os maiores especialistas no assunto. E mais, as aulas práticas são ministradas na Fazenda Escola CPT, considerada uma das mais belas e modernas de Minas Gerais. Veja como foi a experiência de um dos milhares de alunos:

Mas não perca tempo pois, justamente por priorizar o treinamento prático individualizado, as turmas são reduzidas. Clique no banner abaixo e confira todas as informações.


Fonte: Cavalus, Informativo equestre  e Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Áreas

Artigos

Clínica e Saúde

Destaque

Esporte equestre

Notícias

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.