Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Como diagnosticar as doenças respiratórias em equinos

doenças respiratórias em equinosOs períodos secos e de inverno são ambientes propícios para o surgimento de doenças respiratórias em equinos. Sobretudo os animais que permanecem por longos períodos em baias fechadas, onde vários tipos de microrganismos podem se proliferar.

Por isso os problemas respiratórios em equinos já são um dos maiores motivos de atendimentos veterinários. As doenças respiratórias afastam os animais de suas atividades de rotina, e geralmente acometem aqueles que estão em idade mais avançada ou tem uma rotina intensa de atividades físicas.

Isso em virtude dos erros de manejo das instalações e a predisposição dos próprios animais em contrair estas doenças, que em muitas vezes são crônicas. O primeiro sinal de alerta de que o animal possa estar com alguma doença respiratória está na respiração ofegante, principalmente depois das atividades físicas. Em seguida, perda de peso e queda no rendimento.

Neste artigo, vamos esclarecer as suas dúvidas e mostrar os problemas respiratórios mais comuns, seus principais sintomas e como diagnosticá-las.

Tipos de doenças respiratórias em equinos

Confira abaixo as principais doenças do trato respiratório em equinos:

Alergias ou Pulmoeira: Assim como os humanos, os equinos também podem apresentar alergias relacionadas à poeira ou fungos, aliás, esse tipo de doença respiratória é bastante comum.

Quando o animal é alérgico, ele costuma tossir durante as suas atividades de rotina como treinos, trabalhos e também no estábulo. Apesar de não ter febre, o corrimento nasal é comum e a respiração do cavalo tende a ficar acelerada.

A alergia ou pulmoeira é uma condição permanente, mas pode ser controlada e amenizada por meio do manejo adequado. Portanto, são consideradas como boas práticas, manter as baias e estábulos limpos e permitir que o cavalo fique o maior tempo possível ao ar livre.

Gripe: Os equinos também podem contrair o vírus da gripe com bastante frequência. Se não for tratada, ela pode evoluir para um quadro de pneumonia e até mesmo levar o animal à morte. O principal sinal da gripe em cavalos é a mudança no apetite, eles se alimentam menos, e tem a presença de corrimento nasal e tosse.

O animal fica bastante debilitado quando contrai a doença. Por isso, ele deve ser poupado de grandes esforços físicos. Além disso, a doença é contagiosa, então é ideal evitar que o animal tenha contato com os demais.

Doenças respiratórias causadas por bactérias: As infecções causadas por bactérias também são um verdadeiro problema para os equinos. Uma das mais comuns é a Gurma, ou Garrotilho, que é altamente contagiosa. Por isso, ao perceber os sinais, a orientação é separar dos outros animais.

Os principais sinais são:

  • febre alta;
  • pus nas narinas;
  •  falta de apetite e descoramento. 

Além disso, não são raros os casos em que o animal desenvolve abcessos na região do pescoço e da mandíbula.

Doença pulmonar crônica obstrutiva: A doença pulmonar crônica obstrutiva (DPCO) é uma síndrome alérgica e inflamatória. Essa patologia é caracterizada por acometer principalmente os animais mais idosos. As principais causas da DPCO são o agravamento de infecções virais, fatores relacionados a alergias como pó, ácaros e fungos. Também pode surgir se o animal tiver predisposição genética.

Os principais sinais são:

  • mudança brusca de comportamento;
  • falta de apetite;
  • cansaço;
  • hipertrofia muscular;
  • febre;
  • presença de corrimento nasal; 
  • mudança no ritmo da respiração.

Como é uma doença crônica, o equino fica muito fragilizado, deixando-o propenso a desenvolver outras infecções.

Como diagnosticar e tratar essas patologias?

Para obter o diagnóstico correto das doenças respiratórias em equinos primeiramente, é fundamental conhecer a anatomia do animal e saber identificar os sinais que esteja apresentando.

Todas essas doenças podem encontrar no estresse e baixa imunidade do animal uma maneira propícia para se desenvolver. Sendo assim, é muito importante que o proprietário do animal, já nos primeiros sinais, submeta-o ao atendimento especializado.

O médico veterinário, deverá utilizar uma das mais importantes ferramentas de diagnóstico, que é a ultrassonografia veterinária. Ela permite visualizar as estruturas das vias respiratórias e as pulmonares, que possibilita identificar alterações proeminentes.

O tratamento varia de acordo com o tipo de doença mas, de uma forma geral, recomenda-se o repouso do animal e o afastamentos dos demais até descobrir a causa do problema. É importante ressaltar que no caso das doenças respiratórias em equinos, o mais eficaz é investir em prevenção. 

Manter boas condições dos estábulos, garantir que o animal tenha acesso à áreas abertas e providenciar uma alimentação sempre balanceada são formas de manter a saúde dos equinos em dia!

O nosso parceiro CPT Cursos Presenciais oferece diversos cursos práticos na área de equinos. Estamos falando de um modelo exclusivo de capacitação, onde você recebe total atenção individual dos professores. Clique aqui e confira todos os cursos!

Fonte: Blog do Mundo Veterinário e Agronline

Áreas

Clínica e Saúde

Destaque

Notícias

Produção

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.