Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Bambeira Equina: Conheça os sinais dessa doença

bambeira equinaBambeira equina é uma doença infecto-contagiosa, seu nome científico é Mieloencefalomielite Protozoária Equina (EPM) e atinge animais em vários lugares no mundo. Assim, são ocasionadas grandes perdas aos cavalos pois ocorre a deterioração do sistema nervoso central dos mesmos.

E mais, caso ocorra demora no fornecimento do tratamento adequado o quadro é agravado. Veremos que alguns fatores favorecem o aparecimento desta enfermidade, ficar atento a eles faz toda a diferença.

Neste artigo, traremos informações valiosas sobre a bambeira equina, você, médico veterinário, estará ainda mais preparado!

Formas de disseminação da bambeira equina

O protozoário causador da bambeira equina é o Sarcocystis Neuroma, normalmente ele é eliminado através das fezes dos gambás e das raposas. Então, ocorre a contaminação de ambientes como as pastagens e rios, aí para a contaminação do animal são poucos passos. Ao ingerir o alimento ou a água contaminada, os cavalos se tornam acidentalmente hospedeiros dos protozoários que causam a bambeira equina.

Estes se deslocam do intestino para a corrente sanguínea, e em seguida ultrapassam a barreira hematoencefálica, atingindo finalmente o sistema nervoso central. Com isso, a medula é afetada e junto a isso vem várias consequências. Aliás, os principais locais onde os protozoários se instalam são o tronco cerebral e a medula espinhal.

Sinais Clínicos

Para identificar a doença é preciso realizar exames laboratoriais, juntamente com a análise dos sinais clínicos neurológicos. Eles irão variar de acordo com o local onde o protozoário se instalou. É essencial que você, médico veterinário saiba realizar a interpretação dos exames laboratoriais. 

Confira abaixo os principais sinais clínicos da Bambeira Equina:

  • No começo geram fraquezas;

  • Tropeço no solo ou em objetos;

  • Arrastamento de pinças;

  • Perda de equilíbrio e sensação de bambeira;

  • Atrofias musculares focais;

  • Inclinação de cabeça;

  • Paralisia de nervo facial;

  • Sinais de disfagia.

Com a bambeira equina  os cavalos passam a oscilar a movimentação de seus membros superiores em diferentes graus, pode ocorrer um simples moleza, ou em casos mais graves a queda do animal. Ainda mais, podem ocorrer atrofias musculares em consequência da falta de uso de alguns grupos musculares, os principais são os glúteos e os quadris.

Para te auxiliar nos estudos sobre a área equina trouxemos uma palestra online e gratuita sobre as análises laboratoriais em clínicas veterinárias. Nelas você terá os profissionais mais renomados no assunto transmitindo conteúdo de qualidade. Clique no link abaixo e faça uma pausa para assistir!

Palestra Online: Análises Laboratoriais na Clínica Veterinária

Formas de controle

Antes de controlar a doença é importante realizar a prevenção, para isso é preciso realizar a higienização dos locais onde os cavalos se alimentam, nos cochos onde são fornecidas a água e a ração. O controle da bambeira equina é feito em duas vertentes, a primeira delas é a busca da eliminação dos gambas. A segunda forma é a realização do isolamento da alimentação dos equinos.

Tratamento para a doença

Quando o assunto é o tratamento da bambeira equina, precocidade é a palavra chave. Assim, quando identificada nos primeiros estágios é possível realizar um tratamento prolongado e que traga bons resultados e evitando perda dos animais. Então, caso seja recomendado o tratamento, ele ocorre por meio da utilização de drogas específicas, anti-inflamatórios e complementação vitamínica objetivando a recuperação do tecido nervoso.

Outra dica básica é manter os animais em baias e instalações adequadas, elas devem ser amplas, arejadas e que de alguma forma evite as escoriações. Isso, porque em alguns casos os cavalos chegam a ficar em situação de decúbito por muito tempo, o que é muito comum no início do tratamento.

Prevenção da bambeira equina

A bambeira equina pode ser prevenida por meio da adoção de algumas práticas, confira algumas:

  • Adotar ações que proíbam as ações dos gambás;

  • Isolamento da alimentação dos equinos;

  • Higienização adequada dos cochos;

  • Higienização do depósito de rações.

O fato do animal está exposto aos parasitas, não quer dizer que ele necessariamente irá desenvolver a doença. Mas, adotar as boas práticas aumentarão as chances de um rebanho protegido e bem desenvolvido.

Agora, podem ocorrer situações de emergência na qual o animal não pode esperar muito tempo para receber o tratamento adequado. Logo, o profissional que se destaca é aquele que sabe avaliar os problemas dos cavalos e tomar decisões com relação às situações emergenciais. No curso de primeiros socorros em equinos do CPT Cursos Presenciais, você tem a oportunidade de avaliar na prática os problemas equinos. Clique no banner abaixo e conheça o curso!Já são milhares de alunos capacitados. Veja abaixo um depoimento de um aluno que fez o curso.

Fonte: No Galope, Rural Pecuária e Cavalus  

 

Áreas

Clínica e Saúde

Destaque

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.