Aumente seu conhecimento no mundo equestre
Junte-se a milhares de apaixonados por cavalos. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Como cuidar de cavalos: conheça o básico!

Como cuidar de cavalos conheça o básico Sabemos que cavalos são animais especiais para quem tem a oportunidade de conviver e, principalmente, trabalhar com eles. Porém, sabemos que trabalhar com equinos requer um cuidado mais apurado por parte do responsável.

Pensando nisso, elaboramos esse guia com o conhecimento básico de como cuidar de cavalos. Dessa forma é possível que você saiba como e por onde começar. E assim, vai garantir que seus cavalos desempenhem seu propósito, qualquer seja ele, sem prejuízos a  saúde dos animais.

Confira abaixo os tópicos básicos sobre como cuidar de de cavalos!

Contato com o Animal

Se você ainda está começando no manejo de equinos, vai perceber o quanto o primeiro contato é importante. Para saber como cuidar de cavalos, primeiro você precisa entender como se aproximar do animal e conquistar sua confiança.

Assim, antes de começar, é importante saber que cavalos associam movimentos bruscos a perigo. Isso vem de anos de evolução e da relação com o movimento de ataque de predadores. 

Portanto, ao estabelecer o contato com o animal é importante usar uma voz ‘melosa’ sem grande alteração de tom . Desse modo, os cavalos fazem uma associação com ternura e tranquilidade, o que facilita a lida com o animal.

Ainda no que diz respeito a esse assunto vale ressaltar que cavalos são animais sociais e aprendem com facilidade. Isso quer dizer que eles são capazes de guardar repetições e entonações que irão determinar sua percepção e comportamento. Além disso, cavalos se comunicam por linguagem corporal. Saber ler essas diferentes posturas é fundamental para entender o que eles estão sentindo. 

Por exemplo, cavalos costumam exibir seu tamanho, com postura avançada, pescoço e cabeça erguidos, e fazendo movimentos com orelhas e boca quando se sentem alerta e podem precisar agir rapidamente. Ao contrário, cavalos com cabeça e pescoço baixos, orelhas e lábios caídos e acuados podem estar debilitados ou deprimidos.

Anatomia Básica dos Equinos

Para quem deseja aprender como cuidar de cavalos é importante conhecer o básico sobre a anatomia do animal. Dessa forma, é possível que a comunicação sobre o bem-estar do animal seja mais clara entre os envolvidos nesses cuidados. 

Entender a nomenclatura correta das partes do animal, é uma forma de facilitar o manejo de equinos. Como já foi dito, os cavalos evoluíram como animais sociais e dizem muito com seu corpo. 

Assim, é importante saber que a anatomia exterior de um cavalo é dividida em quatro partes:

  1. Cabeça - a cabeça do cavalo é dividida em: fronte e topete, fonte, olhal, olho, chanfro, narina, lábios, orelha, nuca, parótida, chato da bochecha, ganacha, bolsa da bochecha, barba, orelha, boca, pálpebra, bochecha e ponta do focinho;

  2. Pescoço - formado pela crineira, bordo superior, bordo inferior e tábuas;

  3. Tronco - dividido em: cernelha, lombo, anca, garupa, peito, interaxila, axila, contado, flanco, colhadouro, ventre, virilha, cauda e órgãos genitais;

  4. Membros - formados pelo conjunto das seguintes partes: espédua, braço, codilho, antebraço, joelho, canela, boleto, quartela, coroa, casco, coxa, nádega, soldra, perna e jarrete. 

É interessante ressaltar que conhecer esse elementos da anatomia do animal não dispensa a consulta com o veterinário responsável, principalmente em caso de emergências

Dentição e Idade Aproximada de Equinos

Os dentes dos cavalos dizem muito sobre o animal. Além de ser um sinalizador da da sua saúde, a arcada dentária é fundamental para entender a idade e o tipo de nutrição do equino. Por isso, para entender como cuidar de cavalos, saber avaliar os dentes é fundamental.

Durante a vida do cavalo a sua arcada dentária se modifica. Isso acontece pelo atrito entre a arcada superior e inferior que causa desgaste nos dentes. Ao longo do tempo, isso expõe as estrutura dentárias e modifica o desenho das arcadas.

Essas mudanças resultam da variação na nutrição do animal no decorrer de sua vida, mostrando uma variação no tamanho da partícula do alimento. Quanto menor essas partículas, menos mastigação é necessária e, portanto, menos atrito acontece.

Para avaliar a dentição é importante levar em conta alguns pontos, como: coloração, formato da superfície de mastigação, número de dentes e a presença do sulco Galvante

Um cavalo mais jovem possui dentes mais brancos, mais ovais e em linhas verticais. Cavalos adultos possuem dentes amarelados, circulares e arcada angulada. Já em animais mais velhos os dentes são marrons, triangulares e a arcada está em uma inclinação mais aguda. 

Além disso, é importante verificar a presença do sulco Galvante. Ele é uma marca marrom na linha da gengiva no centro do incisivo de um cavalo. Ele aparece quando o animal possui entre 10 e 30 anos e é resultado de uma pequena ‘falha’ no esmalte do dente. 

Principais Instalações no Criatório

O criatório é fundamental para que o animal mantenha uma boa sanidade. Pensando nisso, para entender como cuidar de cavalos é preciso começar com um bom espaço para o seu animal. 

Com isso em mente, é importante lembrar que a sanidade do animal vem do seu equilíbrio físico e mental. Isso quer dizer que além de provar um cuidado com o corpo do animal, o criatório ajuda no conforto do animal para que ele não sofra. 

Alguns elementos são básicos para o manejo de equinos além de fundamentais para o conforto do animal, são eles:

  • Baias: as baias servem para abrigar os animais, mas devem ser pensadas para que o animal não ’se sinta preso’ e de fato proporcionem conforto no tempo que o cavalo estiver nela. Existem tipos diferentes de construções para as baias, mas o mais importante nesse caso é pensar no espaço disponível para o animal. O ideal é que a baia não possua menos do que 3x4 metros.

  • Cocho para alimentação: o cocho deve ser pensado para facilitar a alimentação do cavalo. Assim, a posição do cocho deve ser numa altura baixa, mimetizando a pastagem de chão.

  • Local para Feno: assim como o cocho, o feno deve estar um local baixo, porém a escolha desse local específico pode variar podendo ser uma manjedoura, rede ou no chão. 

  • Bebedouro: os cavalos precisam ter água sempre disponível. Assim, o bebedouro não pode estar ausente. Ele pode ser automático ou não, mas o importante é que a água seja fresca. Desse modo, ele deve ser limpo periodicamente.

  • Cocho para Sal Mineral: os animais precisam de sal mineral disponível o dia todo. Assim é importante a presença do cocho para sal mineral. Vale a ressalva que esse sal deve ser específico para equinos.

  • Cama: ela é fundamental para o conforto do animal. A cama pode ser de vários tipos, como de maravalha, pó de serra, feno, capim, palha de arroz, bagaço de cana, areia ou borracha. Porém, o mais importante, é que seja limpa periodicamente!

  • Depósitos: os itens para manejo de equinos devem ser armazenados de forma correta para que não afetem a saúde do animal. Assim, os depósitos devem ser pensados para garantir a qualidade do material a ser utilizado.

Alimentação

Para garantir o bem-estar e o melhor desempenho do animal, a alimentação é peça chave. Assim, um ponto muito importante para se aprender como cuidar de cavalos é a nutrição! 

Com os cavalos é preciso saber quais são exigências nutricionais de cada animal com base na fase da vida em que este se encontra bem como da função que ele desempenha. Só assim é possível estabelecer uma dieta que funcione tanto para o criador quanto para o cavalo, garantindo melhor desempenho metabólico a um menor custo.

Como dissemos, ao falar do papel do bebedouro, cavalos precisam de água constante. A quantidade necessária na dieta diária varia de acordo com o animal. Por exemplo, éguas em lactação tem sua necessidade de água aumentada em até 30 litros por dia.

Assim, podemos ver que a exigência de proteínas, carboidratos, vitaminas e água deve ser pensada para o estágio de cada animal. 

Cuidados para Cavalgadas

Todos sabemos que as cavalgadas são uma tradição muito forte no Brasil. Estar com o animal durante esse momento pode ser um grande prazer, mas pode representar um enorme desgaste para os cavalos.

Por isso é importante saber como cuidar de cavalos durante esses eventos, para que as necessidades antes, durante e depois sejam atendidas da forma correta.

Antes das cavalgadas é importante que o animal atinja um condicionamento físico que permita que ele minimize o desgaste da jornada. Assim é preciso uma rotina de treinos pré-cavalgada. Outro ponto é a vacinação do animal que deve estar em dia antes da cavalgada.

Durante o evento é importante pensar na nutrição e na suplementação mineral do seu animal. É importante que o zootecnista ou médico veterinário responsável examine o animal e forneça a dieta correta antes da cavalgada. Assim é possível evitar problemas de saúde como a cólica equina.

Vale ressaltar que o animal deve começar sua preparação pelo menos 60 dias antes do evento. Isso garante que não haverá prejuízos significados à saúde e ao bem-estar do seu cavalo ou égua.

Identificação das Principais Doenças

Outro ponto básico para compreender como cuidar de cavalos é o reconhecimento das principais doenças. Equinos sofrem com diversas enfermidades ao longo da vida, portanto reconhecer quais são e alguns dos principais sintomas fará a diferença no rápido atendimento ao seu animal.

  • Cólica Equina: acometem o aparelho digestivo do animal. O animal defeca de forma anormal e tem dores nas regiões intestinal e estomacal.

  • Influenza Equina: é similar à gripe humana, pode ser chamada de tosse ou gripe cavalar.

  • Encefalite Equina: conhecida como falsa raiva. É uma virose que ataca o sistema nervoso do animal. Pode comprometer a visão e causar perda de peso.

  • Anemia Infecciosa: atinge os animais em qualquer idade. Seu sintoma principal é uma febre alta que causa abatimento e debilidade nas patas.

Nesses casos é importante a consulta com o veterinário para que o animal seja diagnosticado de forma correta e possa receber o tratamento.

Reconhecimento das Pelagens 

Cavalos são animais com diferentes pelagens, que são causadas por diversas combinações genéticas diferentes. Para quem deseja trabalhar com cavalos de raça, reconhecer as pelagens é fundamental para saber como cuidar de cavalos.

Entender o que afeta cada tipo de pelagem, as alterações e as combinações possíveis é muito importante nesses casos. As principais pelagens são: alazão, baio, branco, colorado, douradilho, gateado, mouro, picaço, preto, rosilho, tobiano, tordilho e zaino.

É importante lembrar que essas pelagens sofrem variações, não só pelas combinações genéticas, mas pelo sexo, idade e exposição do animal ao sol

Assim, apresentamos um panorama básico de tudo que você precisa entender sobre como cuidar de cavalos. Vale ressaltar que a prática, é sempre a principal fonte de experiência e conhecimento.

O contato com o animal, como falamos no primeiro tópico, é o que vai construir sua relação com os cavalos e permitir que você entenda suas necessidades. 

Se você quer saber a prática como cuidar de cavalos e conhecer a real experiência do manejo equino, clique aqui.  

Fontes: Manual de Boas Práticas de Manejo em Equideocultura, Revista Veterinária e Vedovati

Curso Conhecendo os Cavalos: Manejo, alimentação, e cuidados no dia a dia

Administração de haras

Artigos

Clínica e Saúde

Destaque

Doma

Esporte equestre

Nutrição

Produção

Raças

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.