30% de desconto em Cursos Online de Criação de Cavalos
Aumente seu conhecimento no mundo equestre


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Protocolo de sincronização de cio em éguas: conheça mais sobre esse procedimento

Protocolo de sincronização de cio em éguas conheça mais sobre esse procedimentoPara o sucesso das técnicas de reprodução equina,  o manejo reprodutivo correto das éguas tem ganhado cada vez mais destaque. Afinal, tanto no papel de receptora quanto de doadoras são determinantes no sucesso da aplicação da biotécnica.Assim, tornou-se cada vez mais necessário conhecer sobre o ciclo estral desses animais com o objetivo de aumentar as taxas de prenhez, e, portanto, aumentar a produção de potros geneticamente melhorados. Dessa forma, um ponto base para a melhoria dessas taxas é o protocolo de sincronização de cio em éguas. Ele permite que as fêmeas escolhidas estejam prontas para os procedimentos.

A sincronização do cio em éguas acontece por meio de um protocolo hormonal e tem o objetivo de alinhar o ciclo de éguas doadoras e receptoras para que sejam realizadas diferentes técnicas, como a transferência de embriões em equinos. Essa sincronização acontece por meio de terapia hormonal, nutrição e manejo adequado dessas fêmeas. A ideia desse processo é aumentar a eficiência reprodutiva, intensificando o ritmo de melhoramento genético dos animais. 

Assim, para que o protocolo de sincronização de cio em éguas seja eficiente é preciso que o responsável conheça bem o ciclo estral e as técnicas que serão aplicadas após esse procedimento. 

A importância de conhecer o ciclo estral das éguas

Antes de entrarmos na aplicação do protocolo de sincronização de cio em éguas, é preciso entender sobre o ciclo estral delas. Isso se deve à necessidade de entender os comportamentos exibidos pelos animais nesse período para que o reconhecimento das fases do ciclo seja correto. Dessa forma, é possível que verificar o sucesso do protocolo e traçar correções caso necessárias.

Primeiramente, é importante saber que as éguas são consideradas poliéstricas estacionais. Isso quer dizer que elas possuem um ciclo reprodutivo que é dividido em estação reprodutiva e estação não reprodutiva. Esse períodos são determinados de acordo com a oferta de luminosidade ao longo do ano com o primeiro ocorrendo durante primavera/verão e o segundo durante outono/inverno. 

Segundo, é importante, para o protocolo de sincronização de cio em éguas, entender como acontece essa fase  nesses animais. Nesse período as éguas se mostram mais receptivas ao garanhão, e seu trato genital está preparado para aceitar e transportar espermatozóides

Entender esse período permite ao responsável determinar quais éguas estão prontas para serem inseminadas, receberem embriões e seguir com gestações. Assim, conhecer todo o funcionamento  o ciclo estral é um passo primordial para a implementação do protocolo de sincronização de cio em éguas.

Aplicação do protocolo de sincronização de cio em éguas

Depois de entender um pouco mais sobre o que é o protocolo de sincronização de cio em éguas e da importância do ciclo estral desses animais, é interessante entender a aplicação desse procedimento. É nesse momento que o custo dessa técnica se justifica, já que é na sua aplicação deste protocolo que é possível aumentar a eficiência reprodutiva do plantel.

Pensando nisso, técnicas de reprodução equina como inseminação artificial e a transferência de embriões, precisam de uma boa sincronização das éguas para que o resultado seja positivo. É o protocolo de sincronização de cio em éguas que permite que o embrião de uma doadora seja inseminado em uma receptora, levando a uma gestação. É preciso que as fêmeas selecionadas estejam na mesma fase o ciclo estral para que o trato reprodutivo da receptora esteja pronto para receber o embrião, melhorando as taxas de prenhez.

Por fim, é importante entender que para que a saúde dos animais esteja garantida e os resultados alcançados, é preciso que o veterinário responsável pelos processos tenha experiência e conhecimento na reprodução equina. Só com a mão de obra capacitada é possível que o melhoramento genético dos potros alcance a eficiência desejada. Isso porque, sem a capacitação, o veterinário pode esbarrar na falta de prática do reconhecimento do ciclo estral das éguas. Uma vez que, diferente das vacas, o ciclo das éguas e, por sua vez, sua sincronização, é mais difícil de ser identificado.

Então, se você, veterinário, que deseja trabalhar com reprodução equina e ter sucesso em todos os processo, CLIQUE AQUI e não perca essa oportunidade.

Fonte: CBRA e Repositório

Artigos

Destaque

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.