Aumente seu conhecimento no mundo equestre


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Ferimentos em cavalos: entenda as práticas de primeiros socorros

Ferimentos em cavalos entenda as práticas de primeiros socorros

Na rotina de quem trabalha com equinos, os ferimentos em cavalos representam um dos principais motivos de atendimentos desses animais. Normalmente, esse tipo de situação envolve feridas na pele ou tecidos moles, como tendões e ligamentos, causados por objetos estranhos. Estruturas como portões, cercas, troncos, materiais soltos ou até mesmo o relevo da propriedade podem ocasionar os mais diversos ferimentos.

Essa feridas podem ter diferentes aspectos e, portanto, podem se enquadrar em diferentes procedimentos. Para que o atendimento correto seja realizado, três fatores relativos ao ferimento são considerados: contaminação, grau de exposição de tecidos e localização. Outro ponto importante de se observar, é se os ferimentos em cavalos são abertos ou fechados, variando entre incisões, lacerações, avulsões e perfurações ou abrasões, contusões e hematomas, respectivamente.

Em todos os casos, os procedimentos de primeiros socorros em equinos devem ser conduzidos pelos responsáveis para que maiores danos à saúde do animal não venha a acontecer. Pensando nisso, elaboramos uma lista simples, com os procedimento cruciais para atendimento de ferimentos em cavalos. Confira!

Acione o médico veterinário responsável

Quando falamos de ferimentos em cavalos, as primeiras providências podem ser fundamentais para a cura e cicatrização, prevenindo-se maiores danos. Assim, a primeira medida para solucionar essa situação é solicitar, de pronto, a presença de um profissional veterinário. É importante que o médico veterinário seja acionado, uma vez que o diagnóstico correto é fundamental para a retomada da saúde do animal.

Assim, é preciso que o profissional examine o ferimento, administre e receite os medicamentos necessários, além de realizar os procedimentos de limpeza e curativos corretos. Muitos proprietários, seguem receitas de medicamentos caseiros buscando cicatrização rápida e estancamento da ferida. Contudo, tais receitas podem gerar complicações por contaminação nos ferimentos em cavalos, podendo gerar inflamações e infecções, agravando o estado clínico do animal.

Mantenha o animal calmo e o mais estável possível

Apesar de ser recomendado que o proprietário ou tratador evite mexer na ferida antes da chegada do veterinário, ainda há muito o que ser feito durante a espera. Para lidar com ferimentos em cavalos, é importante que, enquanto se aguarda a chegada do médico veterinário, os responsáveis se encarreguem de acalmar e conter o animal. Dessa forma, é possível minimizar o sofrimento do animal, seja o levando a um local que lhe seja mais familiar ou oferecendo feno para trazer distração. Consequentemente, isso o deixa mais tranquilo, até que se possa avaliar a profundidade e a gravidade de seus ferimentos.

Leve o animal para um local adequado para o atendimento

Quando os ferimentos em cavalos acontecem em situações de campo, é importante encontrar locais adequados à manutenção do animal que sejam limpos e macios. Isso vale, principalmente, para cavalos em decúbito, deitados com uma lateral apoiada no solo. Nesses casos, um gramado à sombra pode ser uma opção acessível.

Para o veterinário responsável, animais em decúbito lateral requerem maior atenção. Quando o animal está nessa posição, ele sofre com dificuldade na oxigenação sanguínea. Isso acontece pois o pulmão que está para baixo recebe mais sangue (hiperperfusão) e menos ar (hipoventilação), enquanto o contrário está acontecendo com o pulmão que está para cima, com menos sangue (hipoperfusão) e mais ar (hiperventilação). Ou seja, sobra ar onde tem menos sangue para hematose. Outra questão do cavalo em decúbito lateral prolongado é o excesso de peso sobre regiões específicas que podem levar a lesões musculares ou de nervos periféricos. Estas lesões podem causar dificuldade no retorno anestésico e transtornos pós-anestésicos. Estes dois fatores citados são limitantes para o tempo que o cavalo permanecerá deitado.

Ainda, o responsável deve estar atento para os cuidados com o cavalo em decúbito lateral sob anestesia geral. Nesses casos, ele deve se preocupar em:

  • Proteger a cabeça sobre material macio;

  • Evitar traumatismo no globo ocular;

  • Evitar aspiração de poeira;

  • Tracionar cranialmente o membro torácico que estiver por baixo, com o objetivo reduzir a pressão pelo peso.

Assim, o veterinário é capaz de reduzir os riscos durante o atendimento.

Busque manter a calma e evite atitudes precipitadas

Diantes de situações envolvendo ferimentos em cavalos é importante que todos os responsáveis mantenham a calma durante os procedimentos. Hemorragias podem ser desencadeadas por uma atitude inadequada do cuidador, como, por exemplo, a tentativa de se retirar objetos cortantes ou perfurantes que possam ter provocado o ferimento. Nesses casos, algumas ações recomendadas são o uso de uma compressa fria ou realizar o estancamento com um pano estéril.

Traumas e fraturas, em geral, são emergências que exigem do tratador muita calma. Dessa forma, é importante não se precipitar e seguir as recomendações do veterinário responsável.

Esteja preparado!

Como dissemos, atendimentos que lidam com ferimentos em cavalos são uma grande parte da rotina de quem trabalha com esses animais. Assim, é importante estar pronto para lidar com essas situações no atendimento a campo. Para isso, a experiência é fundamental, já que saber como agir em cada tipo de situação, se adaptando à realidade de cada propriedade é essencial. É importante também, que o médico veterinário saiba orientar proprietários e tratadores, de modo que as instruções sejam viáveis para a rotina do local e, com isso, sejam seguidas de fato, levando o animal à recuperação. Em contrapartida, é importante que a equipe da propriedade esteja pronta para prestar atendimento ao animal enquanto aguarda a chegada do veterinário, além de prestar auxílio durante o atendimento. 

Quando todos estão aptos a lidar com esse tipo de situação de urgência ou emergência, o animal é quem ganha pois sofre menos no momento do atendimento, recebe os cuidados devidos e, portanto, pode se recuperar de forma correta. 

Por fim, se você quer conquistar a experiência necessária para o atendimento emergencial de equinos, conheça nosso Curso Online "Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Equinos"!


Fonte: Ourofino e CPT Cursos Presenciais

Áreas

Artigos

Clínica e Saúde

Destaque

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.