Aumente seu conhecimento no mundo equestre


Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Intoxicação por ureia em equinos: conheça os sintomas

Intoxicação por ureia em equinos conheça os sintomasA intoxicação por ureia em equinos, infelizmente, é um mal comum nesses animais. Mas, por que isso acontece?

A ureia é uma substância utilizada como fonte protéica de baixo custo na produção de rações e que, quando consumida exageradamente, pode causar intoxicação nos animais. Entre as diversas consequências geradas por essa intoxicação, está o possível óbito do animal e, por isso entender mais sobre ela é tão importante.

Assim, para evitar essas consequências drásticas,é preciso que os responsáveis saibam o que fazer e como identificar esse tipo de contaminação. Se levarmos em conta que os equinos podem sofrer diversos tipos de intoxicações, saber identificar os comportamentos do animal enfermo é importante. Afinal, um pequeno descuido pode gerar sérias consequências à saúde do animal. Dessa forma, a capacitação do profissional faz toda diferença quando o assunto é qualidade de vida e bem estar.

Continue lendo esse artigo e saiba quais são os principais sinais, tratamentos e prevenção para a intoxicação por ureia.

Principais sinais da intoxicação por ureia em equinos

Nos casos de intoxicação por ureia em equinos, geralmente, os primeiros sinais começam a aparecer entre 20 e 30 minutos após o animal ter consumido a substância tóxica. Contudo, em alguns casos, esse período pode variar até 60 minutos após a ingestão. Assim, fica claro como saber identificar os sintomas pode salvar o animal, por se tratar de uma contaminação que age rapidamente no animal.

Entre os sinais de intoxicação  por ureia em equinos estão:  

  • Inquietação;

  • Cólicas;

  • Perda de apetite;

  • Salivação excessiva;

  • Dificuldade de deglutição;

  • Respiração acelerada;

  • Tremores;

  • Diarreia.

O que fazer em casos de intoxicação por ureia em equinos?

Ao se diagnosticar a intoxicação por ureia em equinos, primeiro deve-se retirar o animal, imediatamente, do ambiente onde aconteceu o problema. Caso seja observado no cavalo qualquer um dos sinais mencionados anteriormente, deve-se procurar um médico veterinário com urgência.

Apenas após o exame veterinário deve ser iniciado qualquer tipo de tratamento. Isso porque, cabe ao veterinário determinar como seguir com a medicação e cuidados com o animal. Feito tudo isso, o tratamento deve ser conduzido a base de medicamentos específicos, responsáveis por liberar as toxinas do organismo do cavalo. Além disso, este medicamento deve ser aplicado de acordo com os sinais que forem observados. 

Como prevenir esse tipo de intoxicação em equinos?

A prevenção da intoxicação por ureia em equinos é composta, principalmente, por técnicas de manejo alimentar e decisões agronômicas em relação ao pasto. Alguns exemplos dessas práticas são os cortes mecânicos, utilização de herbicidas, higienização do ambiente e os cuidados diários com os animais.

O manejo alimentar, especificamente, entra como forma de mostrar ao responsável como distribuir melhor a nutrição do animal, considerando todo o espectro dessa nutrição. Afinal, é muito importante que se tenha cuidado com a quantidade de ureia a ser fornecida ao cavalo e que ela seja misturada a outros ingredientes, de forma bem homogênea. Outro ponto importante desse manejo é a hidratação, já que, também, é importante que os animais tenham acesso contínuo a água. 

A ureia também deve ser introduzida na dieta de forma gradativa, para uma boa adaptação do animal. Por isso, os equinos estabulados precisam do dobro de atenção, pois não fazem seleção dos alimentos, ingerindo apenas o alimento que lhes é fornecido.

Outros tipos de intoxicação em equinos

Além da intoxicação por ureia, os equinos podem sofrer desse mal por outras fontes. Podemos destacar outros motivos desencadeadores de intoxicação mais comuns no dia a dia a campo, como: 

  • Alimentos estragados;

  • Agrotóxicos;

  • Animais peçonhentos, como cobra, escorpião;

  • Medicamentos em excesso ou errados, tendo como exemplo, o uso excessivo de vermífugos, sulfas e outros antibióticos;

  • Substâncias nutricionais em excesso;

  • Plantas venenosas, como por exemplo, acácia-negra, campainha, cardo, cavalinha, louro, algas, beladona,etc.

Essas intoxicações podem ocorrer por contato direto com a pele, olhos, mucosas ou mesmo a ingestão. Deve-se manter os animais longe de plantas, alimentos estragados e substâncias que possam causar a intoxicação.

Exemplos de alimentos tóxicos para equinos

Assim como a ureia, podemos também citar alguns exemplos de alimentos tóxicos que devem permanecer afastados dos equinos. São eles:

  • Tomateiro;

  • Batatas;

  • Pimentão;

  • Cebola;

  • Ameixas;

  • Açafrão;

  • Ervilhas.

Outros exemplos de alimentos são o brócolis e a couve-flor que não são vegetais tóxicos, mas podem causar gases e cólicas no aparelho digestivo do cavalo, provocando alterações intestinais.

Enfim, as intoxicações de origem alimentar são uma grande preocupação hoje em dia e são muitas as substâncias que podem afetar negativamente a saúde do cavalo. Por isso, é importante obter o conhecimento específico nesse assunto e evitar que o animal tenha intoxicação.

Quer entender mais sobre alimentação de cavalos, e estar apto para realizar corretamente do manejo nutricional de equinos? CLIQUE AQUI E CONHEÇA O CURSO!

Fonte: Perito animal, Equitação

Artigos

Clínica e Saúde

Destaque

Nutrição

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.