Melhoramento genético em equinos: conheça as principais técnicas!

Melhoramento genético em equinos: conheça as principais técnicas!O melhoramento genético em equinos é, atualmente, fundamental para quem deseja ter sucesso no mercado de cavalos. Seja como veterinário, proprietário, criador ou tratador, para ter sucesso no trabalho com esses animais, é preciso reconhecer a relevância dessa questão. Assim, para que os objetivos de genética fossem alcançados, permitiu o desenvolvimento de diversas biotécnicas de impacto nos resultados de reprodução equina.

Isso se dá, em grande parte, porque a busca pela qualificação na reprodução é um assunto cada vez mais presente entre os criadores e investidores do mercado de cavalos e éguas. Principalmente, quando se trata de animais de grande porte como, por exemplo, os cavalos competidores.

Nesse contexto, podemos destacar duas técnicas que vem sobressaindo como as mais utilizadas proporcionando inúmeros benefícios, sendo elas a inseminação artificial e a transferência de embriões. Essas técnicas têm revolucionado o mercado, causando eventualmente o crescimento da equinocultura através da eficiência reprodutiva e trabalhando diretamente o aprimoramento das raças e seus cruzamentos.

Neste artigo, vamos trazer mais sobre essas técnicas, seus impactos e benefícios. Boa leitura!

Principais técnicas de melhoramento genético em equinos

Para melhorar os resultados reprodutivos e possibilitar a combinação de matrizes genéticas desejáveis, diversas técnicas de melhoramento genético em equinos foram desenvolvidas. Atualmente, como mencionamos, a inseminação artificial e a transferência de embriões tem ganhado maior adesão por parte de veterinários e criadores. Muito disso se dá pelos seus impactos positivos nos resultados e pela integração entre as duas técnicas.

Assim, o profissional que deseja atuar com reprodução equina, precisa entender mais sobre elas. Isso inclui entender seus procedimentos, onde ambas se encontram e quais os benefícios individuais e conjuntos. Para começar, temos um breve resumo sobre o que é cada uma delas:

Inseminação artificial em equinos (IA)

De modo simples, a IA consiste na fecundação de uma ou mais éguas de alta linhagem com um garanhão de alto valor.Esta biotécnica é responsável pelo bom índice de fertilidade e progresso genético das criações. Sua grande vantagem vem de permitir um grande número de progênies por um único garanhão, ou seja, várias fêmeas podem ser inseminadas sem expor o garanhão ao cansaço ou às fêmeas ao macho. Além disso, a inseminação artificial em equinos pode ser  realizada com o sêmen fresco, resfriado ou até mesmo o sêmen congelado de reprodutores já mortos.

Transferência de embriões em equinos (TE)

Esse processo conta com uma fêmea doadora e outras receptoras, que recebem os embriões gerados pelas matrizes de alto valor genético (garanhão + égua doadora). Ou seja, a TE permite a geração de mais de um embrião não só pelo garanhão, mas também pela égua de matriz genética de valor. Não à toa, essa técnica se destaca pelo fato de gerar várias vantagens como, por exemplo, obter mais de um descendente por ano de apenas uma égua, antecipar o ingresso de fêmeas jovens na reprodução, obter potros de éguas idosas ou com problemas de parição, dentre outras.

Fatores básicos para o sucesso no melhoramento genético em equinos

Para ter sucesso no melhoramento genético em equinos, além de estar capacitado para executar as principais técnicas, é preciso atenção em alguns pontos. Assim, a transferência de embriões e a inseminação artificial envolvem alguns fatores básicos para alcançar o sucesso e o desempenho de forma adequada. Entre eles podemos listar:

  • Dispor de boas condições de higiene;

  • Detecção correta do cio;

  • Manuseio das fêmeas corretamente;

  • Características do sêmen fresco, resfriado e congelado;

  • Controle sanitário específico para os garanhões e éguas;

  • Idade, escore corporal, histórico reprodutivo e fertilidade dos animais.

Dessa forma, fica evidente que, para que os processos sejam realizados de forma adequada, levando-se em conta os fatores para o sucesso, a principal questão para boas taxas é a capacitação dos envolvidos. Os profissionais precisam ter experiência na execução das ações, bem como conhecimento para entender a importância de cada passo na rotina reprodutiva voltada para o melhoramento genético do plantel. Sem o alinhamento entre ações e conhecimento os resultados podem ser comprometidos por inexperiência dos profissionais.

Conhecimento é essencial para o melhoramento genético em equinos!

A utilização dessas técnicas requer cuidados, conhecimentos específicos e equipamentos adequados, além de contar com uma equipe de profissionais reconhecidamente qualificados. Mesmo envolvendo tratadores e responsáveis, nesse para a execução das técnicas é indispensável a presença do médico veterinário.  

Todo o processo demanda eficiência e cautela para proporcionar resultados satisfatórios. Por isso o manejo reprodutivo quando bem conduzido, ao mesmo tempo que exige muito conhecimento dos profissionais e uma ação bastante integrada entre manejo e biotécnicas, é capaz de proporcionar o melhoramento genético em equinos. 

Veterinário, se você busca trabalhar com reprodução equina em criações de alto padrão genético, CLIQUE AQUI e veja nossa dica de capacitação!

Artigos

Destaque

Reprodução

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado

(Campos com * são obrigatórios)

Marque suas áreas de INTERESSE. *

Conecte-se ao mundo equestre gratuitamente!

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Escola do Cavalo. Todos os Direitos Reservados.